close

"Fiquei sem reação", diz veterinária que levou cusparada de andarilha

Redação Pop Mundi 08/05/2018 17:18

Andar pelas ruas e praças na área central não tem sido nada fácil para a população de Franca (SP). O grande número de pedintes e moradores de rua tem assustado e causado agressões para muitos frequentadores, caso de uma veterinária que foi atingida com uma cusparada no rosto após negar esmola para uma mulher.

A vítima, de 40 anos, disse que sempre leva o filho aos domingos na Praça Nossa Senhora da Conceição para acompanhar o tradicional “Trenzinho” e também a banda que se apresenta na Concha Acústica, mas está pensando em parar de frequentar o espaço. “Os andarilhos estão tomando conta do Centro. Está ficando difícil a população transitar em qualquer setor. Se você não der dinheiro, você é agredida... Fiquei sem reação”, disse a veterinária que ao levar a cusparada assim que deixou uma loja, precisou ainda pedir para lavar o rosto em uma farmácia ao lado. Ela ainda viu a andarilha sair caminhando tranquilamente.

Em entrevista exclusiva ao repórter Marcos de Paula, pela Rádio Imperador e Pop Mundi, a moradora da área central disse ainda que na noite anterior a “bola da vez” dos andarilhos foi a amiga. “Minha amiga levou um soco na nuca. A Polícia Militar foi lá e chegou até a levar o rapaz, mas depois soltou”, contou a veterinária.

Ouça abaixo:

Essa não é a primeira denúncia de agressões de andarilhos contra os moradores. No ano passado, uma mulher que estava em um carro e parou em um semáforo, também levou uma cusparada de um pedinte.

Houve vários casos de agressões contra idosos, também registradas em boletins de ocorrência. Um senhor de 85 anos, chegou a ser espancado por um morador de rua, em março deste ano.

Em fevereiro, os investigadores da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) conseguiram capturar o morador de rua acusado de estuprar uma cuidadora, entre a avenida Doutor Ismael Alonso y Alonso e a rua Ângelo Pedro.

Além da Praça Central, outros espaços também tem sido alvo dos andarilhos. Há registros em uma praça no Jardim Consolação, na praça Carlos Pacheco em frente ao Cemitério da Saudade.

Uma moradora que prefere não se identificar também denuncia o descaso em uma praça localizada em um cruzamento da Avenida Brasil. Ela reclama que o espaço virou morada para andarilhos.

O Pop Mundi entrou em contato com o secretário de Ação Social, Vanderlei Tristão. Em entrevista ao repórter Thiago Garcia, ele disse que a situação é "resultado da super proteção que o pessoal da rua tem recebido, principalmente dos defensores públicos...Eles ganharam praticamente uma imunidade, então eles acham que podem fazer o que quizerem que sempre vão ter a defesa do Ministério Público e defensores", disse Tristão. 

Ainda com relação aos abusos cometidos pelos andarilhos, o secretário chegou a sugerir ao prefeito Gilson de Souza (DEM) de um convênio entre o Governo do Estado de São Paulo e as prefeituras, denominado "Operação Delegada" que já é realizada em Rifaina (SP) e  em regiões críticas de São Paulodesde 2009. 

A ação consiste no trabalho de policiais militares que estão em seus dias de folga para os municípios. O chamado "bico dos PMs" parece ser a única solução para Vanderlei Tristão. "Já está em andamento, o gabinete já tem as informações e precisa colocar em prática o mais rápido possível... Então eu acho que esse como tantos outros casos, já são casos de polícia e não da Ação Social".

Ouça abaixo: 


Podcasts
17/10/2018
Jovem é internada na CTI após ter moto atingida por carro no Centro
17/10/2018
Mulher é suspeita de tentar matar marido a facadas no Jardim Paraty
17/10/2018
Cerimonialista é suspeita de aplicar golpe que passa de R$ 50 mil
16/10/2018
Diocese promove mudanças em 12 igrejas de Franca e região
15/10/2018
Prédio abandonado vai receber novo modelo de "Incubadora de Empresas"