close

Temporal causa mortes e deixa alagamentos no Rio de Janeiro

Redação Pop Mundi 07/02/2019 07:58

A prefeitura do Rio decretou estágio de crise na cidade, por conta das fortes chuvas que caem desde o início da noite de ontem (6). Alguns bairros foram mais afetados, como Rocinha, Vidigal, Alto da Boa Vista e Barra da Tijuca. Por conta dos ventos fortes, foi grande o número de árvores caídas sobre diversas ruas, pelo menos 4 pessoas morreram e há desaparecidos. 

O estágio de crise é o terceiro grau de alerta, quando há chuva muito forte, alagamentos e deslizamentos. O Centro de Operações do Rio (COR) emitiu alertas pedindo para as pessoas não saírem de casa ou de lugares abrigados, a menos que seja extremamente necessário. Sirenes foram acionadas na Favela da Rocinha e também na Comunidade Sítio Pai João, no bairro do Itanhangá, perto da Barra da Tijuca. A orientação do Sistema Alerta Rio é que as pessoas sigam para pontos seguros de apoio.

Orientações à população

Ao decretar o estágio de crise às 22h15, O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que devido áreas de instabilidade com intensidade forte a muito forte atuam desde o início da noite e permanecem atuando, principalmente nas regiões das zonas sul e oeste da cidade do Rio de Janeiro. A previsão para as próximas horas é de chuva forte a muito forte na cidade. 

A prefeitura pede que as pessoas permaneçam em casa e que somente se desloque em caso de extrema necessidade. Em pontos de alagamento, evite contato direto com postes ou equipamentos que possam estar energizados. Outra orientação é que o morador verifique se há sinais de rachaduras em sua residência. Ao perceber trincas ou abalo na estrutura, acione a Defesa Civil Municipal pelo número 199 e, neste caso, evite ficar na casa.

Moradores de áreas de risco precisam ficar atentos aos alertas sonoros. O acionamento das sirenes indica perigo de deslizamento. As pessoas devem se deslocar para os pontos de apoio estabelecidos pela Defesa Civil Municipal. Os locais são informados pelo número 199. Se necessário, use os telefones de emergência 193 (Corpo de Bombeiros), 199 (Defesa Civil) ou 1746 (Central de Atendimento da prefeitura).

 

As informações são da Agência Brasil. 


Podcasts
13/02/2019
Programa sexual é frustrado e pintor é detido após invadir CDP de Franca; Ouça!
13/02/2019
"Tinha que morrer", diz sapateiro que assassinou estuprador; Ouça!
12/02/2019
Ministério Público investiga denúncias contra o prefeito Gilson de Souza
11/02/2019
Acidente entre ônibus e caminhão deixa 10 feridos no Centro
09/02/2019
Homem assassina a esposa com 10 facadas em Jeriquara