close

Lauany, Leonardo e Ítalo prestam depoimentos sobre morte de Núbia

Redação Pop Mundi 07/03/2019 16:16

A audiência envolvendo os três acusados de assassinar a comerciante Núbia Ribeiro no final de 2017, durou mais de 5 horas. Testemunhas de acusação e defesa, além de policiais, estiveram no Fórum de Franca (SP) na tarde desta quinta-feira (7).

A primeira a ser ouvida foi a empresária Tânia Ribeiro, mãe de Núbia. Em seu depoimento que durou cerca de 20 minutos, ela fez questão de elogiar a filha. Tânia disse que Núbia sempre foi uma pessoa amorosa e teve todo apoio da família.

A empresária disse que só soube da existência de Leonardo através de uma amiga de Núbia. Ela também contou que a filha recebeu ameaças de Lauany, que pra ela foi a mentora do crime.

O pai de Leonardo Cantieri, tido como pivô do crime, também prestou depoimento e disse que acredita que o filho não seria capaz de cometer uma atrocidade dessa. Para ele (pai), o filho foi induzido pela então namorada, Lauany.

Amigas de Núbia, Lauany e Ítalo também foram ouvidas. Uma das amigas de Lauany disse que foi até o brechó de Núbia com ela e presenciou as duas discutindo sobre a possível relação sexual de Núbia com Leonardo.

Segundo ela, as duas chegaram se estranhar mais depois a situação foi normalizada. Ainda segundo a testemunha, Lauany andava com uma faca de cozinha e, em uma festa ela chegou a sacar o objeto durante uma briga, mas foi contida por algumas amigas.

O momento mais tenso foi quando Lauany Viodres ficou frente a frente com o Juiz. Com o olhar fixo e uma dor irreparável por dentro, Tânia Ribeiro acompanhou atenta a versão apresentada pela acusada de ser a mentora do crime que tirou para sempre sua paz.

Durante 20 minutos, Lauany manteve a sua versão de que não teria participado do crime e aponta Leonardo e o comparsa Ítalo como os responsáveis pela morte da comerciante.

Leonardo Cantieri teve a oportunidade de se defender das acusações feitas por Lauany mas, preferiu se calar. O último a ser ouvido foi Ítalo Neves que, segundo o inquérito, tem participação direta no crime.

Em sua oitiva, Ítalo disse que foi chamado para “desovar” um carro e que Lauany disse que Núbia teve o que mereceu...tinha que morrer. O caso foi deliberado pelo juiz e seguirá os trâmites até que seja deferida a data para o julgamento do trio que deve ir a juri popular.

 Fotos: Marcos de Paula/Pop Mundi


Podcasts
23/05/2019
Mãe de aluna agredida em Pedregulho desabafa
22/05/2019
Voluntários fazem campanha contra exploração sexual
22/05/2019
Vice prefeito usa tribuna e critica projeto de cargos comissionados
22/05/2019
Santa Casa faz campanha para doações de leite materno; Ouça!
22/05/2019
Apae realiza neste sábado 8º Leilão União de Forças