close

"Juro que não fiz nada", diz Lauany sobre assassinato de Núbia; Ouça!

Redação Pop Mundi 08/03/2019 08:55

Um dos depoimentos mais esperado na audiência que aconteceu ontem (7) no Fórum de Franca (SP), sem dúvidas foi de Lauany Viodres, apontada pela promotoria e a polícia, como a mentora do crime macabro que ceifou a vida da comerciante Núbia Ribeiro no final de 2017.

O depoimento da acusada durou cerca de 20 minutos e, como havia dito ao delegado Marcio Murari, responsável pelo inquérito, negou de todas as formas a participação no assassinato da comerciante.

Na presença do Juiz, Lauany contou que no dia do crime passou a tarde na chácara da sua mãe com Leonardo e, quando voltavam ela viu que o namorado havia enviado uma solicitação de amizade para Núbia e os dois passaram a discutir.

As horas passaram e já no período noturno, segundo ela, Leonardo resolveu marcar um encontro com Núbia e colocar as duas frente a frente. Segundo ela, Leonardo jurava que não teve nada com a vítima e iria provar.

Foi então que ele teria arquitetado a morte da comerciante, segundo Lauany, junto com Ítalo Neves. Lauany contou em sua versão que Leonardo teria agredido Núbia e sentado com ela no banco dianteiro e obrigou Lauany a dirigir até a usina Ceval onde, segundo seu depoimento, Leonardo teria agredido a vítima com pedradas e a jogado em meio ao mato.

Lauany durante depoimento. Foto: Marcos de Paula/Pop Mundi

Os dois voltaram no Gol pertencente à Leonardo até a residência de Lauany onde estava o carro da comerciante, um Honda Civic. Ainda segundo ela, Leonardo teria procurado Ítalo para dar o fim no carro de Núbia.

Se isentando de qualquer participação no crime, Lauany disse que Ítalo teria ido até o local onde o corpo da comerciante foi jogado e, ao perceber que ela estava morta, ateou fogo no mato para camuflar as impressões digitais, isso segundo a réu.

Ítalo foi preso um dia após o crime pela equipe da DIG e sempre negou participação. Em sua versão ele contou que apenas foi chamado para dar um fim no carro. Sandro Rocha, responsável pelas investigações, prestou depoimento e disse que imagens das câmeras de segurança de um posto de combustíveis foram fundamentais para a elucidação do crime.

Diante da repercussão do bárbaro assassinato de Núbia Ribeiro, Leonardo e Lauany que estavam fora de Franca, segundo o advogado, se apresentaram três dias após o crime. Leonardo apresentou pelo menos, 3 versões para o crime e alega que quem matou a comerciante foi Lauany.

Ontem diante do Juiz, Leonardo Cantieri preferiu permanecer calado. O próximo passo agora deve ser o julgamento, os três devem ser levados à júri popular.

Acompanhe o depoimento de Lauany Viodres Prado durante audiência

 


Podcasts
18/03/2019
Professora esquece celular em casa e acusa crianças de furto
16/03/2019
Canil da PM de Franca ganha novo filhote para treinamento
15/03/2019
Funcionário da Prefeitura encontrado morto na Vila Formosa
14/03/2019
Ladra furta duas cervejas em supermercado e chora ao ser presa
12/03/2019
Após briga, pespontador é esfaqueado no abdômen pela esposa