close

Comerciantes cobram mais segurança na região central

Redação Pop Mundi 10/09/2019 16:04

A questão da segurança na região do Centro tem preocupado não só os moradores, mas também lojistas e entidades. Um encontro foi realizada nesta terça-feira (10) na Associação do Comércio e Indústria de Franca (ACIF) e mobilizou todos os segmentos. E a decisão é de se criar um Fundo de Segurança e buscar a instalação da Atividade Delegada, que dará suporte às forças policiais no combate a criminalidade.

O encontro foi coordenado pelo presidente da Acif, Tarciso Botto, através do EmpreCentro - núcleo de desenvolvimento do Programa Empreender. Estiveram reunidos empresários e representantes da Polícias Militar, Guarda Civil Municipal e Secretaria de Ação Social, além da CDL Franca, Conselho de Segurança.

Botto explicou a necessidade da união de todos, principalmente da CDL Franca na fundamentação do projeto da Atividade Delegada e Fundo de Segurança para dar um amparo às ações da segurança pública. O resultado da reunião deverá ser encaminhado aos diversos setores, bem como ao prefeito Gilson de Souza, apontando as necessidades. 

Encontro discutiu melhorias na segurança da região central / Foto: CDL Franca/ Divulgação 
 

O comerciante José Berdú Granero, dono de uma loja no Centro, foi enfático: “Hoje tenho seguro da minha loja, grades de proteção, câmeras e tudo mais, e só falta colocar uma pessoa vigilante 24 horas. Estou me sentido preso e, mesmo assim acontece invasões de pedintes e pessoas que ameaçam e trazem terror”, disse.

Para ele, a ausência de um policiamento efetivo traz a sensação de que a região do Centro está desprotegida, mesmo que as estatísticas apontam redução de crimes.

Ouça a entrevista: 

Capitão Alex Fabiano Lança, comandante da 1ª Companhia do 15º BPM/I, analisou o encontro como muito produtivo. Segundo ele, os números apresentam uma redução de crimes na região central com as ações que vem sendo desenvolvidas. “É sempre bom ouvir as lideranças da cidade e os diversos segmentos seja lojista, comunidade e outros. Saber entender o lado da população e fazer com que também entenda é o trabalho da PM e suas limitações”.

Lança citou a proposta de se criar um Fundo Municipal de Segurança para captar recursos de ações penais/ condenação e até TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para aprimorar a atividade de segurança e auxiliar no trabalho solicitado pela comunidade.

Ouça a entrevista: 

 

Maurício Pereira Ramos, presidente da CDL Franca, por sua vez explicou que as dificuldades são enormes, porém existe uma carência de material humano e estrutural para a Polícia Militar e Guarda Civil. “Essa união é altamente satisfatória, já que a busca de uma ação que envolve todos os segmentos dará uma tranquilidade maior a população, lojistas e entidades”. Além disso, Ramos explicou da necessidade de trabalhar o aspecto social (mendicância) que tem crescido sistematicamente em diversos pontos da cidade.

Ronaldo Rogério, coordenador da Administração Pública, explicou que existe a necessidade de uma ação preventiva de ostensividade da Guarda Municipal e Polícia Militar para reduzir a chamada “insegurança”. Para ele, existe a preocupação do poder público quanto essa ostensividade. “Já encaminhei ao prefeito Gilson de Souza pareceres sobre a Atividade Delegada, pois ela inibe a criminalidade  traz maior segurança a população. E é essa condição que estamos lutando”.

ATIVIDADE DELEGADA

Implantada pioneiramente na cidade de São Paulo, em 2009, a Atividade Delegada já é desenvolvida em outras 60 cidades inclusive, na região de Franca, ela já acontece com sucesso em Rifaina, onde existe o monitoramento eletrônico. Mas, também está em São José da Bela Vista, Pedregulho. Outros já discutem sua instalação como Cristais Paulista, Jeriquara, Buritizal, Restinga, Patrocínio Paulista.

Para implantar é necessário que seja criado um projeto de lei pelo Executivo e aprovado pela Câmara Municipal, bem como o Fundo Municipal de Segurança. É feito um convênio com o governo do Estado e através dessa parceria policiais militares passam a auxiliar o município na fiscalização do comércio ambulante irregular e dos níveis de emissões sonoras entre outros.

O projeto deve ser encaminhado ao Comando Geral da PM e à SSP para que, depois de analisado, possa ser aprovado pelo secretário da Segurança. “Os policiais, mesmo não estando no seu horário normal de trabalho, estão integrados. E isso facilita e agiliza procedimentos que rapidamente mobilizam a pronta resposta nas ruas da Polícia Militar e da Polícia Civil”, disse o comandante do 15º BPM/I, tenente-coronel, Marcus Alexandre Araújo.

Ouça a entrevista: 

Fotos: CDL Franca / Divulgação


Podcasts
19/09/2019
Confira a Mensagem do Dia de hoje
18/09/2019
"Operação Tapa-Buracos está parada" denuncia funcionário da Emdef
18/09/2019
Francana busca classificação neste domingo diante do Tupã
18/09/2019
Refis deve gerar arrecadação de R$ 50 milhões para a Prefeitura
17/09/2019
Programa Zera Fila terá investimento de R$ 3,7 milhões em Franca