close

Edina Alves e Neuza Back são selecionadas para o Mundial de Clubes

Redação Pop Mundi 06/01/2021 07:58

Na manhã desta segunda-feira (4), a FIFA divulgou os nomes escolhidos para compor o quadro de arbitragem do Mundial de Clubes 2020, a ser disputado em fevereiro deste ano. A dupla formada pela árbitra do quadro da FPF, Edina Alves Batista, e a assistente Neuza Inês Back, esteve entre os nomes selecionados.

Ao todo, sete árbitros de campo, 12 assistentes e outros sete árbitros de vídeo na operação do VAR estarão na competição, que acontece entre os dias 1 e 11 de fevereiro de 2021, no Catar.

Edina é a primeira árbitra brasileira a atuar na competição e irá comandar um dos trios. A primeira vez que uma mulher liderou uma equipe de arbitragem em uma competição dessa magnitude havia sido na Copa do Mundo Sub-17, com a suíça Esther Staubli. Edina iniciou a carreira como assistente e faz parte do quadro de árbitros da FIFA desde 2016.

Ela foi um dos destaques da Copa do Mundo de Futebol Feminino em 2019, na França, além de ter apitado na Série A do Brasileiro, tornando-se a primeira mulher a atuar no nacional em 14 anos.

Dentre os assistentes escolhidos, Neuza Inês Back também faz parte do quadro de árbitros da FPF. Ela vai atuar ao lado da argentina Mariana de Almeida, completando o trio feminino na arbitragem. Com vasta experiência no cenário nacional, Neuza coleciona a marca de ser a primeira mulher brasileira a trabalhar como árbitra auxiliar em uma partida masculina internacional fora do país. Na oportunidade, ela atuou no jogo entre Peñarol (URU) e Vélez Sarsfield (ARG), pela Copa Sul-Americana, em Montevidéu.

Elogios

Presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, Ana Paula Oliveira, exaltou o trabalho de todo o departamento de arbitragem para a indicação das árbitras. 

"Estou maravilhada com a convocação das meninas, fiz uma retrospectiva quando ainda estava na CBF e como foi árduo e intenso o caminho. Elas merecem, pois são extremamente dedicadas e focadas. A resposta no campo de jogo é fruto de muito trabalho associado a sequência de jogos. Assim como os jogadores, árbitros precisam de treinamento e a evolução ocorre jogo a após jogo. Parabenizar a FPF, a CBF e a Conmebol por todo apoio e suporte à arbitragem feminina", disse antes de completar.

"Confesso que estou muito feliz por elas. Inclusive pela Mariana também, uma garota muito disciplinada e que treina e atua com determinação em seus jogos, buscando sempre a excelência", finalizou Ana Paula Oliveira.

Informações da FPF

Foto: Rodrigo Corsi /FPF 


Podcasts
19/01/2021
Padre Marcelo: ouça o programa de hoje
18/01/2021
Padre Marcelo: ouça o programa de hoje
16/01/2021
Padre Marcelo: ouça o programa de hoje
15/01/2021
Padre Marcelo: ouça o programa de hoje
14/01/2021
Padre Marcelo: ouça o programa de hoje