Assassinos, tio e sobrinho voltam ao local onde policial civil foi morto; veja!

Redação Pop Mundi

Após 10 dias presos, tio e sobrinho envolvidos no crime que deixou um policial civil morto e outro investigador gravemente ferido voltaram a cena do crime que chocou a cidade de Batatais (SP).

Um grande esquema de segurança foi feito pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) para levar os dois assassinos da Cadeia do Jardim Guanabara ao cruzamento onde aconteceu o roubo seguido de morte para realização da reconstituição.

Em comboio, os criminosos chegaram separados, mas ficaram novamente lado a lado para detalhar como planejaram e executaram o crime. Algemados nos pés, nas mãos e usando coletes a prova de balas, por cerca de uma hora os dois refizeram o passo a passo de como tudo aconteceu no dia 10 de abril.

Sem demonstrar nenhum arrependimento e com extrema frieza, Flademir Cândido dos Santos, 31 anos, e seu sobrinho, Yuri Weslly Candido Pereira, de 18 anos,  foram acompanhados por peritos durante a reconstituição.

Flademir disse que sabia que os policiais iriam passar pelo local, ficou aguardando em uma moto enquanto o sobrinho, Yure, usou um carro para bloquear a passagem. O comerciante rendeu os investigadores e fez três disparos.

Luis Henrique Zanuelo, morreu na hora depois de ser atingido na cabeça. O amigo dele e também policial, José Carlos da Silva, de 50 anos, foi baleado duas vezes e permanece internado em estado grave.

Essa foi a última etapa do processo de investigação, e os envolvidos foram indiciados por latrócinio, roubo seguido de morte e devem continuar presos até o julgamento.

Veja como foi: